Inicio >> ESGOTO >> Perguntas e Respostas - Esgoto

Perguntas e Respostas - Esgoto


1) O que é esgoto?

Esgoto é o líquido resultante do uso das águas domésticas, públicas, comerciais e industriais. Por ser um líquido esteticamente repugnante, com implicações na saúde da população quando exposto, seu escoamento a céu aberto deve ser evitado. Por isso, ações de engenharia sanitária procuram confinar o esgoto e fazê-lo escoar em canalizações fechadas e enterradas desde o ponto de coleta até o local de tratamento, assim é o SISTEMA HIDRÁULICO DE COLETA, AFASTAMENTO E TRATAMENTO DE ESGOTO.

2) Qual a importância de um sistema Hidráulico de Coleta, Afastamento e Tratamento de Esgoto?

Do ponto de vista da Saúde Pública:

  • Evitar a poluição do solo e conseqüente contaminação dos poços decorrentes da sua infiltração; 
  • Evitar o contato com pessoas e animais pelo escoamento e empoçamento dos esgotos em ruas e calçadas; 
  • Evitar a poluição dos corpos d’água receptores; 
  • Disponibilizar meios que incentivem os hábitos de higiene; 
  • Evitar o contato de vetores transmissores de doença; 
  • Aumentar a vida média da população pela redução de doenças. 

Do ponto de vista da Economia:

  • Diminuir os gastos com tratamentos de doenças de origem hídrica; 
  • Possibilitar com segurança e economia, os diversos usos de água abaixo dos pontos de lançamento; 
  • Incrementar o lazer e o turismo; 
  • Promover a valorização imobiliária de área urbana.


3) Qual a origem dos esgotos domésticos e/ou comerciais?

O esgoto doméstico e/ou comercial é originado das edificações que dispõem de instalações de banheiros, lavanderias e cozinhas. Ele consiste basicamente da água do banho e das pias, descargas dos vasos sanitários, sabão, detergentes e água de lavagem de roupas.

4) Quem é responsável pelo Sistema de Coleta, Afastamento e Tratamento dos Esgotos em Ituiutaba?

Em Ituiutaba a SAE é a empresa responsável pelos serviços de esgotamento sanitário.

5) Qual a origem do esgoto industrial?

O esgoto industrial é originado dos processos industriais e, diferentemente do esgoto doméstico, tem sua composição variável conforme o tipo de indústria, e o produto produzido. Por suas características peculiares, o seu descarte deve ser precedido de um tratamento específico, dentro da área industrial, regido por uma legislação estadual própria, com a aprovação e a fiscalização da Fundação Estadual de Meio Ambiente (FEAM).

6) Quais são os componentes do Sistema Hidráulico de Coleta, Afastamento e Tratamento de Esgotos de uma cidade?

A partir do imóvel gerador do esgoto até o seu lançamento final, no curso d’água receptor, o sistema constitui-se de:

  1. COLETOR PREDIAL; 
  2. LIGAÇÃO PREDIAL; 
  3. REDE COLETORA; 
  4. COLETOR TRONCO; 
  5. INTERCEPTOR; 
  6. EMISSÁRIO; 
  7. ESTAÇÃO DE TRATAMENTO 
  8. DISPOSITIVOS ACESSÓRIOS. 


1. COLETOR PREDIAL é a tubulação que recolhe o esgoto sanitário das diversas partes do imóvel e o conduz até a divisa do terreno onde é feita a ligação predial.

2. A LIGAÇÃO PREDIAL é o trecho compreendido entre o limite do terreno do imóvel e a rede pública coletora.

IMPORTANTE

Para o bom funcionamento das instalações de esgoto, todos os imóveis devem ser dotados dos seguintes itens:


CAIXA DE GORDURA – Para possibilitar a retenção e posterior remoção de gorduras originadas das pias da cozinha e das lava-louças, evitando suas entradas na rede coletora e conseqüente incrustação nas paredes da tubulação, estrangulando a seção de escoamento e causando entupimentos.


RALOS SIFONADOS – Colocados após as saídas das pias, banheiros e chuveiros, eles mantém a vedação hídrica, evitando que os odores provenientes da rede coletora penetrem pelas aberturas dos ralos. Os ralos simples também evitam a entrada de materiais sólidos nas tubulações, que causam entupimentos.


TUBOS DE VENTILAÇÃO – Ligados ao coletor são instalados verticalmente até a cobertura do prédio, eliminando na atmosfera os gases fétidos resultantes da decomposição da matéria orgânica do esgoto.

3. REDE COLETORA assentada sob a rua, é uma canalização fechada e contínua suficientemente dimensionada para coletar os esgotos dos prédios situados em ambos os lados da via pública.

4. COLETOR TRONCO é a tubulação de maior diâmetro que tem a finalidade de recolher os esgotos dos diversos coletores a ele convergentes.

5. INTERCEPTOR é a canalização do esgoto de grande porte que intercepta o fluxo dos coletores troncos. Geralmente, os interceptores são instalados ao longo das margens dos corpos d’água, evitando os lançamentos pontuais dos coletores troncos diretamente nos córregos que atravessam a área urbana.

6. EMISSÁRIO é a canalização que transfere todo o esgoto dos interceptores para a estação de tratamento. O emissário não recebe nenhuma contribuição de esgoto ao longo de seu percurso.

7. ESTAÇÃO DE TRATAMENTO são unidades que recebem e processam todo o esgoto da microbacia e se destinam a deixá-lo em condições satisfatórias para ser lançado no corpo d’água receptor, evitando a poluição das águas.

8. DISPOSITIVOS ACESSÓRIOS. O principal dispositivo acessório do Sistema Hidráulico de Coleta, Afastamento e Tratamento de Esgoto é o Poço de Visita. Trata-se de uma caixa em forma cilíndrica, acessível por uma pessoa e equipamentos, que intercepta a rede coletora. Sua finalidade é permitir a manutenção preventiva e corretiva dos coletores sem necessidade de fazer escavações na via pública. Também são usados em pontos de cruzamento, mudanças de direção e de declividade das redes coletoras. Todos os poços de visita são protegidos por tampões de ferro ou de concreto armado, para evitar a entrada de materiais estranhos.

IMPORTANTE

Ao observar um po ço de visita com o tampão fora de posição ou vazando, avise imediatamente a SAE pelo telefone 0800.34.8195.

7) A água da chuva é esgoto?

Não. Águas de chuvas ou águas pluviais deverão ser coletadas pelas calhas dos telhados e ralos dos pátios e quintais e conduzidas por tubulações independentes até a rua. Deste ponto, escoando pelas sarjetas, elas entram pelas bocas de lobo e nas galerias de águas pluviais desaguando nos corpos d’água, constituindo-se no que chamamos de Sistema de Drenagem Urbana. As redes de esgoto são projetadas e construídas para receberem somente esgoto. Portanto, o lançamento de água de chuva nas instalações de esgoto podem causar entupimentos e retorno de esgoto nos imóveis devido ao grande volume de água e aos materiais sólidos, como areia, terra, folhas, plásticos entre outros que são levados junto com as águas.

IMPORTANTE

É proibido o lançamento de água de chuva no sistema de esgotamento sanitário.

8) Quais as conseqüências do lançamento de águas pluviais na rede de esgoto?

Este lançamento é proibido por causar:

 

  • Retorno de esgoto dentro do próprio imóvel ou dos vizinhos, causando prejuízos e risco de doenças; 
  • Rompimento da rede coletora e danos aos imóveis.

 

IMPORTANTE

Verifique se em seu lote não há lançamento de água pluvial na rede de esgoto. Caso exista, providencie imediatamente a sua retirada.

9) Quem é responsável pelo Sistema de Drenagem Urbana de Ituiutaba?

Os equipamentos comuns nas vias públicas, tais como bocas de lobo, bueiros, galerias de águas pluviais, canalizações e retificações de córregos são de responsabilidade da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos da Prefeitura Municipal de Ituiutaba.

Dentro do quarteirão ou quadra, a responsabilidade de conduzir as águas das chuvas até as calçadas é dos proprietários dos lotes ou terrenos. O Código Civil Brasileiro prevê que os terrenos em cotas mais baixas deverão dar passagens para as águas de chuva originadas dos terrenos de cotas mais altas. Caberá num acordo e consenso entre os proprietários envolvidos da quadra, escolher e executar a melhor maneira de se dar passagem às águas pluviais que pode ser por tubulação enterrada ou por escoamento a céu aberto, deixando-se, nesse caso, aberturas nos muros divisores dos terrenos.

10) O esgoto pode provocar doenças?

Sim, através do contato com as fezes e urina de pessoas doentes.

11) Como evitar doenças transmissíveis pelos esgotos?

Não deixando o esgoto correr a céu aberto, fazendo a ligação nas redes coletoras que afastam o esgoto até a estação de tratamento, para depois ser lançado no corpo d’água receptor (rios).

Caso não exista ainda a rede coletora de esgoto no bairro, o proprietário do imóvel deverá executar e manter em seu terreno a fossa séptica e o sumidouro.

12) Como os esgotos podem transmitir doenças?

Os esgotos podem transmitir doenças pelos seguintes modos:

  • Pelo contato direto da pele com o solo contaminado por esgoto; 
  • Pelo contato direto da pele com a água contaminada por esgoto; 
  • Pela ingestão de alimentos irrigados com a água contaminada por esgoto; 
  • Pela ingestão de alimentos contaminados por vetores, especialmente moscas que pousam em águas poluídas e em fezes; 
  • Pela ingestão de alimentos manuseados sem a devida higiene pessoal.

13) Quais as principais doenças relacionadas com os esgotos?

DOENÇAS AGENTES PATOGÊNICOS TRANSMISÃO
Febre tifóide e paratifóide Cólera
Diarréia aguda

Bactéria
Salmonella typhi e paratyphi 
Vibrio cholerae 
Shigella sp 
Escherichia coli, Campylobacter e Yersinia enterololitica

Feco-oral em relação à água contaminada
Hepatite A 
Poliomielite 
Diarréia aguda

Vírus
Vírus da hepatite A
Vírus da poliomielite
Vírus norwalk 
Rotavírus 
Astrovírus 
Adenovírus 
Calicivirus

Diarréia aguda
Toxoplasmose

Protozoário
Entamoeba histolytica Giardia lamblia Cryptosporidium spp. Balantidium coli Toxoplasma gandi

Ascaridíase Tricuríase Ancilostomíase

Helmintos (vermes)
Ascaris lumbricoides 
Trichuris trichiura 
Ancylostoma duodenale

Feco-oral em relação ao solo
Equistossomose Shistossoma mansoni Contato da pele com água contaminada
Teníase Taenia solium 
Taenia saginata
Ingestão de carne mal cozida

14) Como é feita a ligação de esgoto de um imóvel?

A ligação de esgoto, isto é, a interconexão do ramal predial com a rede pública coletora, é sempre de responsabilidade da SAE.

15) É obrigatória a ligação do esgoto onde houver a rede pública coletora?

Sim. Não é permitido manter fossas na área urbana se está disponível a rede pública coletora de esgoto. É obrigatória a ligação do esgoto de acordo com a Lei Municipal nº 3237/97.

16) Por que não se pode lançar as água pluviais na rede de esgoto?

A rede de esgoto não é dimensionada para escoar água de chuva. Assim, se o proprietário e ou morador lançar água de chuva na rede de esgoto, poderá haver o rompimento da rede, com retorno do esgoto para dentro do imóvel, danificando a construção.

17) Por que as redes coletoras de esgoto entopem?

Como explicado, a maior parte do esgoto é constituído por água. Esta água é mais que suficiente para ajudar a levar as partículas sólidas presentes no esgoto pelos encanamentos.

Acontece que muitas vezes jogamos no vaso sanitário o que deveria ir para o cesto de lixo. Absorventes higiênicos, cotonetes, preservativos, fios de cabelo, embalagens de sabonete, creme dental, fraldas descartáveis, frascos de desodorante, bem como outros frascos plásticos vazios, peças de brinquedo etc, aparecem indevidamente nas redes de esgoto. Este acúmulo de lixo pode estrangular a seção do tubo, provocando o entupimento e represamento do esgoto na tubulação, resultando em vazamentos nas ruas ou calçadas, e o pior, podendo voltar para dentro de sua casa.

Por outro lado, a não disponibilidade de caixas de gordura nas pias da cozinha e nas saídas de lava-louças, pode fazer com que essa gordura não retida na casa entre na rede e se acumule nas paredes do tubo, estrangulando a seção de escoamento.

Outra causa de entupimento é a ligação clandestina da água da chuva na rede de esgoto. Além de receber um volume de água (água de chuva) não previsto, são lançados na rede, resíduos provenientes da varrição dos quintais (areia e folhagens) que, enroscados em algum ponto do coletor, irão provocar o entupimento.

LEMBRE-SE 


  • No banheiro, o vaso sanitário não é lixeira. Tenha sempre ao lado dele um cesto de lixo. 
  • Nas pias do banheiro e cozinha, mantenha sempre uma peneirinha no ralo de saída. 
  • Mantenha sempre a caixa de gordura em condições adequadas. 
  • Não faça ligação de água de chuva na rede de esgoto.


18) O que fazer quando ocorrem entupimentos de esgotos nas ruas?

Ligue imediatamente para o 0800-348195. Os atendentes da SAE estão à disposição 24 horas por dia e a sua reclamação será registrada e passada para a equipe de Manutenção. A equipe da SAE, seguindo as seqüências das ordens de serviços, irá até o local.

19) O que acontece quando a SAE descobre uma ligação clandestina de água de chuva na rede de esgoto?

A SAE notifica o proprietário/morador do imóvel causador da irregularidade e dá um prazo para a realização dos reparos devidos.

Após este prazo, a SAE faz uma nova vistoria. Caso o problema persista, o assunto é encaminhado à área Jurídica da SAE para as providências legais cabíveis.

20) Nos postos de gasolina, lava rápidos ou garagens de frota de veículos, onde deve ser lançada a água de lavagem dos veículos?

Nestes locais, as lavagens de veículos devem ser realizadas em locais cobertos, com instalações de caixas de retenção de óleo e areia (barro). A água resultante da lavagem de veículos, obedecendo os procedimentos acima, deverá ser lançada na rede coletora de esgoto.

ATENÇÃO

Não é permitido o lançamento das águas pluviais nas caixas de retenção de óleo e areia.

21) O que eu faço com o esgoto gerado pela utilização de água de poço (fonte alternativa)?

Como em qualquer imóvel, o esgoto deverá ser lançado na rede coletora. Nos locais onde não existe ainda a rede coletora, o esgoto deve ser lançado na fossa séptica e sumidouro.

22) O que fazer com o esgoto quando não existir a rede coletora no meu bairro?

Caso não exista a rede coletora de esgoto, o proprietário do imóvel deverá executar e manter a fossa séptica e o sumidouro. Tanto a fossa séptica como o sumidouro deverão ser construídos dentro do próprio terreno.
Não é permitido a construção de fossa séptica e sumidouros na calçada.

23) Como manter a fossa séptica e o sumidouro?

A fossa séptica e o sumidouro necessitam permanecer tampados. Dependendo de suas dimensões e da quantidade de esgoto recebida, a fossa séptica necessita ser esgotada periodicamente.
Esse esgotamento, de responsabilidade do morador, deve ser feito por caminhões esgota-fossas.

24) O que eu faço com minha fossa, quando for executada a rede pública de coleta no meu bairro?

Sua ligação na rede coletora deverá ser providenciada imediatamente junto à SAE, mediante solicitação no Atendimento Personalizado à Av. 33 nº 474 – Setor Sul.
A fossa séptica deverá ser totalmente esgotada e aterrada para evitar acidentes. Esses serviços são de responsabilidade do morador e/ou proprietário do imóvel.

25) De que depende a implantação de rede de esgotos no meu imóvel?

Para se fazer uma extensão de rede, o proprietário do imóvel deverá fazer um requerimento na SAE, que será encaminhado ao engenheiro responsável para que seja feito um estudo do local a ser atendido em termos de número de pessoas beneficiadas e onde está localizada a rede mais próxima para sua extensão.

26) O custo da rede é muito caro?

Você apenas vai pagar a cota parte referente ao seu terreno. A tabela de preços utilizada pela SAE, foi montada tomando-se por base o custo da obra. A visão da SAE não é o lucro, e sim a condição de estar reinvestindo o arrecadado em outras extensões.

27) E se eu não tiver recursos para pagar a minha parte da construção da rede?

A SAE facilitará o pagamento através de parcelamentos.

28) Como eu peço a ligação de esgoto para minha casa?

A ligação de esgoto é feita junto com a ligação de água, ou seja, o ramal de esgoto é disponibilizado juntamente com o ramal de água. Quando o consumidor solicita a ligação de água a SAE fornece o croqui da localização do ramal de esgoto para que o consumidor faça a ligação.

29) Meus amigos e vizinhos disseram que após a ligação de esgoto o valor da conta de água vai aumentar. É verdade?

Sim. Quando você tinha somente a ligação de água, o valor da conta referia-se apenas ao volume de água consumido. Agora, você passará a receber um novo tipo de serviço, a coleta e afastamento do esgoto de sua casa, além do tratamento do mesmo, fazendo com que ele seja devolvido aos córregos e rios livre das impurezas. Frequentemente a SAE é chamada para desobstruir a rede de esgoto, porque algumas pessoas ainda não aprenderam a usar adequadamente a rede de esgoto que lhes serve. Por tudo isso a SAE precisa ser remunerada, e o percentual cobrado é de 70% do valor da água.

30) Há necessidade de se ter a ligação de água para solicitar a ligação de esgoto?

Sim, pois sem a ligação de água ou sem a existência da rede de distribuição de água, a SAE não liberará a ligação de esgoto.

31) Que documentação é necessária para solicitar a ligação de esgoto?

Apenas a conta de água do imóvel.

32) Para quem usa água de poço, o esgoto gerado por ela é cobrado?

Sim. No caso de lançamento na rede pública é cobrada a tarifa correspondente ao consumo mínimo de água. Em breve a SAE irá exigir a colocação de um hidrômetro para medir o consumo do poço para registrar o volume retirado de água e lançada como esgoto na rede pública.

33) Qual a composição do esgoto doméstico?

O esgoto doméstico é composto de água (99,9%), materiais sólidos e microorganismos (0,1%).

Esta pequena parte de material sólido e de microorganismos presentes nos esgotos provocam problemas de poluição das águas, fazendo com que seja necessário o seu tratamento prévio antes do seu lançamento no corpo d’água receptor.

Os materiais sólidos dos esgotos domésticos podem ser de origem orgânica ou inorgânica. Os componentes sólidos orgânicos que são predominantes constituem-se basicamente de proteínas, carboidratos, gorduras, uréia e surfactantes.

Os materiais sólidos inorgânicos são constituídos de substâncias minerais dissolvidas e areia. A areia é introduzida na rede coletora pelas frestas dos tampões dos poços de visita implantados nas vias públicas por infiltrações pelas juntas das tubulações e pelas ligações irregulares de água de chuva nas redes de esgoto.

Os microorganismos encontrados nos esgotos domésticos são as bactérias, os vírus, os protozoários e os helmintos. Dentre estes microorganismos predominam as bactérias que por consumirem oxigênio são responsáveis pela decomposição da matéria orgânica.

Um tipo de bactéria é comum em todos os esgotos domésticos. São as do grupo coliforme, presentes nos intestinos de todos os animais de sangue quente, inclusive dos humanos. Cada pessoa expele por dia entre 100 a 400 bilhões de coliformes. Estas bactérias não são patogênicas (transmissores de doenças), entretanto, a presença delas em corpos d’água indica que eles estão contaminados por fezes humanas e também sugere a existência de microorganismos patogênicos (expelidos nas fezes de pessoas doentes).

34) Por que o esgoto doméstico precisa ser tratado antes do seu lançamento nos rios e córregos?

São 4 os motivos que condicionam a necessidade dos esgotos serem tratados:


  1. Garantir as condições mais naturais possíveis dos rios e córregos receptores, preservando o meio ambiente aquático, inclusive a sobrevivência dos peixes. 
  2. Evitar a propagação de microorganismos patogênicos pelo meio líquido receptor. 
  3. Preservar os volumes de água nos mananciais, mediante a possibilidade de utilização da água dos efluentes tratados, para as atividades urbanas e industriais que não necessitem dos atributos da potabilidade (reuso da água), como por exemplo, rega de jardins públicos, lavagem de ruas, esfriamento de caldeiras e produção de vapor nas indústrias. 
  4. Garantir os demais usos da água, rio abaixo, com economia e segurança por outras comunidades urbanas e rurais (cidades e fazendas).


35) Por que os esgotos lançados diretamente nos corpos d’água causam a morte dos peixes?

Como os esgotos domésticos são constituídos de matéria orgânica, sua decomposição no meio liquido se faz pela ação das bactérias e com consumo de oxigênio dissolvido presente na água ( em correntes naturais a concentração de oxigênio dissolvido é de aproximadamente 9 miligramas por litro).

Quanto maior a carga orgânica lançada diretamente no corpo receptor, maior a quantidade de oxigênio necessário para decompô-la, podendo sua concentração chegar a zero (0 mililitros por litro). Nessa situação, dizemos que o corpo d’água está morto (sem vida aquática).

Como os peixes também necessitam de oxigênio dissolvido (para espécies mais resistentes, a concentração mínima de oxigênio deverá ser de 4 miligramas/litro), as cargas orgânicas lançadas passam a ser o principal fator restritivo para sua sobrevivência.

Assim, para evitar que o oxigênio disponível na água seja excessivamente consumido pela matéria orgânica é preciso remover uma grande parte dessa matéria orgânica na estação de tratamento de esgoto, antes do lançamento no corpo d’água receptor.

36) Como são tratados os esgotos?

Os esgotos são tratados em unidades específicas chamadas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE). Em Ituiutaba, a estação de tratamento de esgoto é denominada ERPAI(Estação de Recuperação e Preservação Ambiental de Ituiutaba).

O tratamento do esgoto nada mais é do que reproduzir numa área confinada e num tempo menor, com auxilio da tecnologia, o processo natural de depuração realizado pelos rios ao longo dos seus percursos.

Os processos de tratamento podem ser classificados como: físicos, químicos e biológicos, podendo numa estação de tratamento ser adotado um ou outro isoladamente ou todos de forma combinada.

37) O que é caixa de gordura?

É uma caixa destinada a reter, na sua parte superior, as gorduras, graxas e óleos contidas no esgoto, oriundos das atividades de cozinha.

38) Quais os cuidados que se deve ter com a manutenção das caixas de gordura?

As camadas que se formam em seu interior devem ser removidas periodicamente e descartadas no lixo doméstico (saco plástico), evitando que os componentes provenientes das gorduras, graxas e óleos contidos no esgoto, escoem livremente pela rede, ocasionando obstrução da mesma.

39) O que é caixa de retenção de óleo e areia?

É uma caixa constituída por duas câmaras e um depósito, destinado a reter areia e óleo provenientes da lavagem de veículos nos postos e da lavagem de peças nas oficinas. A areia é retida na primeira câmara, depositando-se no fundo dela, o óleo passa para a segunda câmara e é recolhido no depósito.
O efluente final sai da segunda câmara (sem óleo e areia) e, assim, pode e deve ser conectado à rede pública de coleta de esgoto.

40) Onde devem ser utilizadas as caixas de retenção de óleo e areia?

Devem ser utilizadas em oficinas, postos de abastecimento, lavadores de veículos, etc.

41) Quais os cuidados que se deve ter com a manutenção das caixas de retenção de óleo e areia?

As camadas de areia que se formam em seu interior devem ser removidas periodicamente, evitando o acúmulo excessivo. O óleo e graxas devem ser retidos na câmara de depósito e devem ser esgotados periodicamente.
Como estas caixas devem ser interligadas à rede de esgoto, não é permitido o lançamento de águas pluviais dentro das mesmas.
Todo o descarte de óleo e areia é de responsabilidade do proprietário.

ATENÇÃO

Ao projetar uma caixa de retenção de óleo e areia consulte a SAE. Nossos técnicos estão à disposição para tirar as dúvidas a respeito.

 

Inicial | Histórico | A Autarquia | Sistema de Gestão de Qualidade | Processos | Comunidade | Meio Ambiente | Licitações | Aprenda com o gotão
Relatório Anual de Qualidade da Água | Tarifas | Postos de Recebimentos | Links | Mapa do Site | Fale Conosco | Regulamento SAE | Regulamento CISAB | Dicas | Entenda sua conta